December 12, 2017

Agende Sua Consulta: (15) 98119.7327 | Sorocaba - SP

É preciso dizer não

É preciso dizer não aos nossos filhos 

                                                                                                   Luanna Lustosa 

Nossos filhos estão em constante desenvolvimento psicossocial. E o que podemos fazer para ajudarmos diante desse crescimento? Talvez vocês estejam com a resposta na ponta da língua: “Muito amor, carinho e dedicação! E eu diria: “Sim, concordo!” E na prática, como seria ofertar esses sentimentos? Vamos tentar responder essa questão juntos. Diria que amor, carinho e dedicação compõe a tríade para a constituição do desenvolvimento psicossocial da criança. Porém, requer atenção! Precisamos compreender que mesmo o amor, tão nobre sentimento, precisa de equilíbrio para o excesso não comparecer.  

É preciso diante do amor, saber amar! Entre a relação pais e filhos precisa existir o amor: o amor que cuida, que ensina e principalmente, o amor que diz não quando é preciso. Sim meus caros, amar, muitas vezes, é dizer não! Por trás desse ‘não’, necessário para o sujeito em alguns momentos, estão contidos ensinamentos e cuidados mutuamente. É preciso ele comparecer. E o que seria esse ‘não necessário’? Seria o tão falado “dar limites”?! Trata-se de “dar limites” no sentido construtivo e não destrutivo. Construtivo por ser uma postura que contribuirá para o desenvolvimento da criança e para a formação da sua postura enquanto adulto que se tornará no futuro; e não destrutiva em “dizer não” e não permitir que a criança compreenda os motivos da negação, deixando transmitir a ela, através desse não, o poderio exercido pelos pais. É preciso diálogo constante com nossos filhos e não tirania. Faz-se necessário um ‘não’ que possibilite que nossas crianças reflitam, compreendam e assim possa contribuir para o amadurecimento emocional delas. 

Dizer não em momentos que se faz necessário, torna-se algo saudável. É permitir tornar nossos filhos independentes emocionalmente. O professor Júlio Furtado em seu vídeo “A família e os quatro papéis essenciais dos pais” afirma que para isso acontecer, é preciso muitas vezes deixar nossas crianças sentir dor; levantar sozinha para que ao final ela saiba que mesmo doendo é preciso seguir adiante. Dizer ‘não’ com responsabilidade é possibilitar que nossos filhos aprendam que precisam ter horários e critérios para tudo na vida. Com isso a criança vai se acostumando com limites: “Não, agora está na hora de almoçar.” / “Não pode almoçar com o brinquedo na mão.” / “Chega, TV foi só até agora. Vai ter que desligá-la.” Lembrem-se: É preciso o ‘não’ educativo e não o ‘não’ tirano. 

Com o tempo aprenderemos e nossos filhos também aprenderão que dar e receber o ‘não saudável’ é indispensável a vida pois, contribui demasiadamente para nosso processo evolutivo enquanto ser humano em constante aprendizado. Então, sigam em frente diante desse ‘não’ que dialogamos hoje pois, por trás dele tem um belo ensinamento e na frente dele vem uma paisagem a ser vislumbrada. Pais, é preciso dizer ‘não’ a quem mais amamos, nossos filhos. E filhos, é preciso esse ‘não’ para o desenvolvimento emocional de vocês.  

Ao final das contas perceberemos que tais atitudes permitirão que nossos filhos tenham a possibilidade de tornar-se um ser humano mais seguro, mais equilibrado, responsável e sabendo lidar mais com as diversas frustações que nos acometem no percurso da vida.   

Bom percurso a todos! 

Abraços afetuosos! 

 Texto enviado no dia 11/10/2017

Luanna Lustosa : psicóloga desde 2013 e especialista em Avaliação Psicológica. Atua na clínica seguindo a abordagem psicanalítica. Reside em Ceará-Mirim/RN, onde possui o seu consultório na Clínica Santa Gema.

Redes sociais:  Facebook: Luanna Lustosa

Página profissional do facebook: Psicóloga Luanna Lustosa

Instagram profissional: @luannalustosapsicologia

 

 

Sobre o(a) Autor(a)

Psicanálise e Amor

Quer ser um colunista deste site?
Entre em contato.
Contato: caroline@psicanaliseeamor.com.br

Artigos Relacionados

Deixar um Comentário/Resposta